Logotipo do Museu do Imigrante

Salas das Gaitas - 01/09 - Por Museu do Imigrante

Gaita de botão, da marca Appiani Cesare e Savoia Maria.

As caixas que compõem a estrutura do instrumento são de madeira, com cantoneiras e presilhas em metal prateado. A madeira apresenta algumas rachaduras.

O instrumento possui travas de fole em couro marrom. Encontram-se rompidas.

A parte superior, possui uma plataforma em metal, onde estão fixados os botões (comumente tocados pela mão direita). São 3 carreiras de 11 botões, na cor branca, fixos por parafusos, somando 33 botões.

Cada botão é interligado a uma sapatilha, por arames de metal. As sapatilhas são retângulos de madeira, que se abrem permitindo a passagem do ar, no momento que o botão é tocado. Elas estão alinhadas em 3 carreiras de 11 sapatilhas. Algumas estão em falta no instrumento em questão.

No meio do instrumento há o fole, que permite a movimentação do ar e produção do som. O fole é composto por um tipo de papel de maior gramatura (provavelmente papelão), com parte interna na cor azul e com acabamento em tecido preto. Possui cantoneiras em metal prateado. Ele encontra-se amarelado, com deterioração do tecido e rompimento de fibras.

Na parte inferior estão os baixos (comumente tocados pela mão esquerda). São 4 fileiras de 12 baixos, na cor branca, fixos por parafusos em uma superfície de metal, somando 48 baixos.

Frontalmente, o instrumento possui adornos florais entalhados e uma frase impressa na cor preta, sobre papel branco, onde consta “PREMIATA FABBRICA D’ARMONICHE Appiani Cesare e Savoia Maria”. O letreiro está protegido por um plástico.

A parte de baixo do instrumento possui diversos buracos vazados na madeira, que compõem dois círculos. Eles servem para a saída do som. Ao lado direito há uma pequena alavanca em metal, denominada torniquete, usada para esvaziar o fole rapidamente enquanto o instrumento é tocado.

O instrumento originalmente possuía 4 pés circulares para seu apoio, entretanto, um está faltando.

Comprimento: 36,4 cm
Largura (espessura): 21,5cm
Altura: 35cm
A terminologia no português é “acordeão” mas devido a regionalismos, possui diferenças, sendo o instrumento reconhecido no sul como gaita, e no centro-oeste e nordeste como sanfona.

O referido acordeão é também chamado de” gaita de botão”, por possuir botões no lugar das usuais teclas ou de “gaita-ponto”, porque em alguns dos instrumentos um dos botões é marcado em preto.

O instrumento em questão trata-se, portanto, de uma gaita de botão, datada do início do século XX, da marca Appiani Cesare e Savoia Maria.

Segundo De Paris (1999, p.171), com a chegada dos imigrantes italianos ao sul do Brasil, chega também o acordeão. Nesse período, o casal de imigrantes Cesare Appiani e Maria Savoia, filha do fabricante dos Savoia (acordeões populares na Europa), se estabeleceram em Santa Tereza (na época distrito de Bento Gonçalves) e começaram a fabricar gaitas sob a marca “Appiani Cesare e Savoia Maria”.

Esse saber fazer dos casal Appiani foi imprescindível para criação, mais tarde, da empresa Todeschini, que iniciou suas atividades fabricando acordeões.

Essa relação ocorre quando Luiz Matheus Todeschini acessa a oficina do casal e aprende o ofício de montagem artesanal desse instrumento musical.

Na década de 1970 a empresa de acordeões Todeschini sofre um incêndio e passa a se dedicar exclusivamente à produção de móveis.

Confira as imagens abaixo

  • Acordeão Cesar Appiani e Maria Savoia
  • Acordeão Cesar Appiani e Maria Savoia
  • Acordeão Cesar Appiani e Maria Savoia
  • Acordeão Cesar Appiani e Maria Savoia

Explore mais

  • quadro antigos

    até no Museu do Imigrante

    Clique para ver mais sobre essa exposição.
  • Penico

    Quarto

    até no Museu do Imigrante

    Clique para ver mais sobre essa exposição. penico branco