Logotipo do Museu do Imigrante

Salas das Gaitas - 02/09 - Por Museu do Imigrante

Gaita apianada/pianada, datada de 1935, da marca Luiz M. Todeschini.

As caixas que compõem a estrutura são em madeira, pintadas na cor branca. Possuem ornamentos florais, entalhados nas laterais e frontalmente, e pintados na cor “goiaba” e cinza.

O acordeon possui duas correias maiores em couro preto, com fivelas prateadas, para acomodação do instrumento ao corpo e duas menores que funcionam como travas de fole.

A parte superior corresponde ao piano (comumente tocado pela mão direita), composto por teclas brancas e pretas. As teclas são compostas de madeira, revestidas por material similar a um plástico. Em algumas teclas o revestimento está se soltando e uma delas não o possui por inteiro.

As teclas são interligadas às sapatilhas, mas no instrumento em questão, as sapatilhas encontram-se escondidas sob uma malha de metal fina. Sobre essa malha há um conjunto de ornamentos vazados, em metal prateado. A malha apresenta oxidação em alguns pontos.

No meio do instrumento está o fole. Ele possui 17 dobras, parte interna na cor vermelha, e acabamento em tecido, nas cores preta e branca. Possui cantoneiras em metal prateado. Provavelmente, o fole é composto por um tipo de papel de maior gramatura (possivelmente papelão).

Na parte inferior estão os baixos (comumente tocados pela mão esquerda). São 6 carreiras de 25 baixos, na cor branca, fixos por parafusos em uma superfície de metal, somando 150 baixos.

Frontalmente, acima do fole, estão três letreiros, entalhados na madeira, e pintados com efeito madrepérola. São eles:

- “Luiz. M. Todeschini”, está ao centro, rodeado por ornamentos; à sua direita está “Bento Gonçalves”, com palavras dispostas em formato de arco; e à sua esquerda está “R.G. do Sul (Brasil)”, com palavras dispostas em formato de arco.

Abaixo do fole está o letreiro “Primo Volpini” (provavelmente se refere a quem encomendou o instrumento).

Na parte traseira, a caixa do instrumento está na cor natural da madeira.

A parte de baixo do instrumento é toda vazada em formatos diversos. Possui uma correia de mão em couro, na cor preta. Ao lado direito há um botão na cor branca, denominado torniquete, usado para esvaziar o fole rapidamente enquanto o instrumento é tocado.

O instrumento possui 4 pés circulares para seu apoio, que consistem em um material similar à um silicone, presos por parafusos.

Comprimento: 52,4 cm
Largura: 19cm
Altura: 41,9 cm
O instrumento em questão trata-se de uma gaita apianada/pianada, datada de 1935, da marca Luiz M. Todeschini.

Luiz M. Todeschini, nascido em Alfredo Chaves (atual Veranópolis), se mudou com a família para a Linha 15 da Graciema, pertencente a Bento Gonçalves. Lá, desde os 13 anos, trabalhava na oficina de Luigi Somenzi, seu vizinho, onde fazia a manutenção de jóias, motores, relógios, e posteriormente, dos acordeons.

Quando Luigi faleceu, Luiz assumiu os negócios, dividindo os lucros com a viúva. Em 1931, Luiz comprou a empresa e a transferiu para a sede de Bento Gonçalves, fundando a “Grande Fábrica de Instrumentos Musicais a Foles de Luiz M.Todeschini". A fábrica se expandiu tornando-se a Todeschini S/A, que chegou a ser a maior produtora de acordeões da América Latina, com produção mensal de até 1.500 instrumentos, exportação para Estados Unidos e países latinos, além de agregar a produção dos harmônios.

No final da década de 1960, as vendas decrescem devido à chegada de instrumentos elétricos no mercado nacional. Em 1971 a empresa sofreu um incêndio e encerrou a produção de gaitas, consolidando-se a partir daí no mercado moveleiro.

Confira as imagens abaixo

  • Acordeão Todeschini
  • Acordeão Todeschini
  • Acordeão Todeschini

Explore mais

  • quadro antigos

    até no Museu do Imigrante

    Clique para ver mais sobre essa exposição.
  • Penico

    Quarto

    até no Museu do Imigrante

    Clique para ver mais sobre essa exposição. penico branco