Logotipo do Museu do Imigrante

Cozinha - 02/09 - Por Museu do Imigrante

Máquina de fazer massa

Consiste em um banco de madeira, onde, em uma de suas extremidades está atrelada a máquina extrusora, em metal.

O banco é em madeira, encaixado com pregos. A madeira apresenta algumas manchas escuras, circulares, na parte superior.

A máquina possui uma manivela na cor vermelha, com as extremidades em madeira, para acomodação das mãos. A manivela é interligada a uma haste vertical (roscada).

A haste possui a cor original do metal. Na sua base há uma estrutura, com parafusos, que prende a máquina ao banco. Essa estrutura possui metal na cor vermelha e esverdeada
(o tom esverdeado é causado por pátina*).

Na parte voltada para o lado interno (onde a pessoa senta), a estrutura possui uma pequena estrela (provavelmente marca da máquina) em alto relevo.

Na parte inferior ao banco, é possível visualizar o cilindro, continuidade da haste. Ele é na cor natural do metal, com resquícios esverdeados, de pátina*.

*composto químico que se forma com o passar do tempo na superfície de alguns metais.

Comprimento: 84,3 cm
Largura banco:28,5 cm
Comprimento manivela :69,5cm
Altura banco: 62,2 cm
Comprimento máquina: 38cm
Máquina de fazer massa, conhecida no dialeto “Talian” como Bigolaro.

Funciona por meio da ação de uma pessoa sentada no banco, que gira a manivela. Consequentemente, a haste roscada acompanha o movimento e pressiona a massa do bigoli, presente no cilindro, contra a chapa (molde). A pressão faz com que a massa seja ejetada no formato do molde.


O bigolaro é uma máquina para produzir o bigoli, um tipo de massa italiana. A bigoli foi instituída, em 1571, na Itália, como alimento de uma festa em comemoração a uma vitória militar no norte daquele país. O bigolaro original era simples, rustico e aparentemente possuía apenas um moldador, provavelmente fixo.
Os imigrantes italianos difundiram no ocidente a técnica de elaborar massas e deu ao seu formato inúmeros nomes como fettuccini, talharim, argolinha, canelone, ravióli, espaghetti, penne, cappelletti, bigoli e outras, mundialmente conhecidos e apreciados. A bigoli é semelhante ao espaguete, porém mais grossa, amassada com as mãos e moldada no bigolaro.
Esta máquina forma um conjunto com um banquinho ou uma tábua para fixar na extremidade de uma mesa. O usuário sentado no banquinho é um elemento de peso de modo a manter a máquina fixa. Girando-se a haste horizontal, o parafuso pressiona a massa no cilindro para que a mesma seja ejetada, abaixo, no formato de acordo com o molde escolhido.
Produzida com parafuso e fixador em ferro forjado, com pontos de solda, haste de alumínio e moldadores em latão. Ainda se encontram aparelhos com essa finalidade à venda, muitos manuais, de diversos formatos e materiais, indicando que a elaboração de certos alimentos no lar ainda é bastante comum.

Fonte: Para saber mais:
it.wikipedia.org/wiki/Torchio_da_pasta

museudosilvio.com

Confira as imagens abaixo

  • banco de madeira com manivela para fazer massa acoplada ao bando

Explore mais

  • quadro antigos

    até no Museu do Imigrante

    Clique para ver mais sobre essa exposição.
  • Penico

    Quarto

    até no Museu do Imigrante

    Clique para ver mais sobre essa exposição. penico branco